sábado, novembro 24, 2012

As vezes anda como a gente quer, as vezes como dá

Eu descobri que crescimento vem em compartimentos e não adianta você tentar fazer algo pra adiantar um lado.

Talvez isso se aproxime da apreciação musical, sim porque apreciar música é diferente de escutar música.

E eu tenho tanto pra crescer que até me senti melhor, porque escolho o que fazer primeiro até chegar a hora certa para o resto.

Até que um dia eu tenha uma casa!

Um Pasalix e um copo d'água, por favor!

E então um dia a gente aprende a importância da arte de atuar.

Pois é, só a importância! Porque atuar mesmo... isso demora, muito.
Mas enfim. É nessas horas que a gente aprende que respirar fundo e tomar uma dose de Pasalix faz um bem inigualável.
Olhando pra fora, erguendo a cabeça para ver além do umbigo, o mundo continua girando, exatamente do mesmo jeitinho. Não há buraco negro que vá engolir os seus problemas, frustrações ou desgostos.
Mais um motivo para continuar. Não é você que vai deixar a vida simplesmente passar, certo?

segunda-feira, outubro 01, 2012

Do passado 10. além do vestidinho drapeado


18 de julho de 2006

 

Existe uma lei muito simples:
            "nada é tão interessante a todos a não ser que você se interesse por isso" .
    É um emprego, um vestido ...? ah!

   E aí, lutar pra conseguir ou cuidar do jardim??   ...  os dois?

   Mas talvez seja só uma visão errada, quem sabe ainda esta por vir? Não saber o que pensar nessas horas é muito comum, mas mais comum é tirar conclusões precipitadas, aí acaba com tudo de vez.

   Terapia a meia noite funciona, por anos e anos. Quem sabe?!

   Mas uma hora você tem que crescer... e ir dormir!

Do passado 9. vários curtos..


2006

que coisa feia!!


Escapuliu!
o cachorro latiu
você mentiu
P.Q.P

Um mundo diferente
  No mundo que o mundo sonhou eu era assim pequenininha.
 Mas que você sonhou pra mim, no teu colo eu cheguei no céu!

 Você
Um dia eu acordei e me percebi sorrindo.

    ^^

Do passado 8. o medidor...


30 de novembro de 2006

 
   "sombras
derrubam
   sombras
quando a treva
   está madura
 

   sombras
o vento leva
   sombras
nenhuma
   dura"

 
Assim disse o Leminski...mas por mais que eu goste tanto dele as vezes fico pensando, será que ele tem msm razão??

Do passado 7. Fiquei


20 de junho de 2006

Te olhei por um tempão, nem disfarcei! E você nem viu.
Fiquei te olhando e pensei. Pensei que fazia tanto tempo que não pensava assim pra escrever.
A recusa, óvbia e óbvio, foi pelo momento certo de não se apaixonar, aceitei a teoria - quanta força de vontade.
E da outra vez, numa volta, um ombro, eu olhando pela janela, frio?
Você de azul, eu de verde - composê.

Fiquei te olhando, não fez diferença.
Fiz plantão, cansei.
Por hoje

Do passado 6. da física para saturno

30 de março de 2006-12-23

É então que finalmente se percebe o quanto nossos problemas podem ser pequenos, basta parar de olhar com os olhos cerrados e erguer a cabeça e para ver o mundo é tão grande e com tantas histórias além das suas, que você não vai acreditar como poderia ter resolvido isso tão fácil.

   Se cada instante nos dá uma chance e cada caminho que não escolhemos fica retido num universo paralelo, talvez esse seja o consolo. Então o ânimo seria saber que em algum lugar você vai estar vivendo o outro momento.

   O momento que não se tem agora pode não estar acontecendo em paralelo, quem sabe ele simplesmente ainda não chegou.

   Quem sabe isso seja apenas um sonho da noite, mas parece mais forte que isso, e então sente-se que ainda se pode vivê-lo, sofrê-lo e querê-lo mais uma vez só.

   Assim, espera-se por mais uma semana e outra, e só mais outra. Depois disso...se passou, nunca vai saber o que o outro eu conseguiu fazer e por qual motivo pendeu...

   Essa é a vida, um jogo de palavras e sentimentos, ora ao alcance das mãos ora ao alcance da mente.

Do passado 5. haikais

08 de março de 2006
 

Aprendi a ler Hai Kai com Leminski e tempos li e reli o que ele escreveu... sempre formando uma cena na minha imaginação, mas a cada tempo uma cena um pouco diferente.

Haikai, comecei a procurar, têm suas regrinhas...nada fixo, ao extremo, mas que o mantenha "japonês"!

   E então achei outros nomes que me depertaram curiosidades.

   Alice Ruiz, quando a li, achei - que palavra usar??! - bom, consegui montar uma história ainda maior do que conseguia com o Leminski (ñ o desmereço de maneira alguma!) e então fuçando achei um depoimento de Alonso Alvarez que me fez gostar ainda mais dela!

    Na web do Alonso (http://www.paubrasil.com.br/olhos/) aprendi mais um tanto - e me apaixonei mais um tanto! - e achei o caqui (http://www.kakinet.com/) que me fizeram fuçar mais um pouquinho.

   Aí não resisti e fui procurar no orkut...sempre tenho achado novidades no orkut. E achei uma comunidade "Hai Kai - Brasil" (http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=161736) e consegui fazer meu primeiro Hai Kai com o tema proposto, como deve ser: "respeitar a simplicidade; evitar o "enfeite" de "termos poéticos"; captar um instante em seu núcleo de eternidade, ou melhor, um momento de transitoriedade; evitar o raciocíniio." (Alonso Alvarez - Sobre o Hai Kai - Os dez mandamentos do haikai - item IV)

...depois de anos que os leio saiu. Gostei!!
Deixarei aqui pra que fique na lembrança... ainda fresquinho!


           Lago

     Voando sozinho
Nuvens forradas de asas
     Passaram hoje


Me corrijam os que acharem necessário!
Grande abraço a todos

ps.: um pouco mais...dias atrás descubro algo interessante...Leminski e Ruiz não deixaram apenas Haikai e mais Haikai escritos, fizeram também uma história em comum, além de três filhos....será que isso tem algo com o fato de serem os dois poetas que mais me chamam a atenção???

ps2: (escrevendo em 2012) não testei as páginas citadas para saber se ainda estão ativas....

Do passado 4. Como a Geni


29 de março de 2006

Ai a vida... ela faz aquelas voltas como quem nunca mais vai parar e de repente estaca, e a gente cai por inércia...

Do passado 3. Lovefool

19 de dezembro 2005

Hoje, quando voltava p/ casa vim escutando uma musica do Nando Reis e  algumas vezes ele repetia: "Existem tantos sentimentos, algum deve servir"!
E agora, sentada aqui, fiquei pensando...qual sentimento me serve agora?
* a saudade do que está por vir,
* a frustração de ñ tentar,
...mas também ñ vou ficar aqui enumerando, pq no final das contas acredito que um sentimento nunca é igual p/ duas pessoas... 
E vocês já ouviram Luiza - do Tom?
Sempre tive um carinho pelo Tom, cada música uma avalanche! Luiza...com aquele desabafo que só ele consegue demonstrar, com toda a paixão e sentimento da alma e da carne.
Ai se o Tom viesse cantar  " VEM CÁ LUIZA, ME DÁ TUA MÃO O TEU DESEJO É SEMPRE O MEU DESEJO VEM ME EXORCISA DÁ-ME A TUA BOCA E A ROSA LOUCA VEM ME DAR UM BEIJO..." (vocês sabiam que Lucíola e Luiza são variações de mesma origem?!)... você não iria?! rsss
....o Tom, tem mais duas q me levam pra longe...
"SE VOCÊ DISSER QUE EU DESAFINO AMOR, SAIBA QUE ISSO EM MIM PROVOCA IMENSA DOR..." alguém já te chamou de “desafinado”? Não precisa levar em consideração estritamente o sentido melódico da frase... (existe mesmo a palavra "melódico" ??!!) dói um pouco, não dói?
Mas aí, tem mais uma que eu ainda vou cantar e vou cumprir " POIS HÁ MENOS PEIXINHOS A NADAR NO MAR DO QUE OS BEJINHOS Q EU DAREI NA SUA BOCA" ... E por aí vai...  aiai!!!
E realmente ñ para aí... aprendi a gostar de Cardigans com minha amiga Juju, primeiro foi pela baladinha gostosa q tem... prestando atenção nas letras... tem duas que me fizeram parar  para pensar por dias!!!
   Carnival é muito boa... "COME ON AND LOVE NOW...." Claro que ñ é só isso que faz dela boa....
   Agora quando eu vi direitinho a letra de Lovefool a primeira vez... mulheres, vocês não se revoltaram?? Mas de novo minha amiga me disse "Não é exatamente isso q fazemos tantas e tantas vezes??" ...tive q ue baixar minha cabeça... como somos assim?? Me acho tão orgulhosa numa hora e um momento depois...q patética!! rsss (tive até q ir escutá-la!!!)
O sentimento de agora...ainda não defini,  alguém conseguiu? Me conta?

Do passado 2. Daqui 10 anos


esse é de 2 de dezembro de 2005! 

Aonde é que se esconde o sol quando a gente sente frio?
Tantas outras coisas se escondem, mas a persistência é uma virtude.
Procurar, procurar, procurar...
Um dia você descobre que não existe, se consome em lágrimas que vão a lugar algum, faz coisas que nunca fez, tem vontade de gritar...
Ou talvez ou dia você descubra q sempre existiu e esteve ao seu lado, então se consome em lágrimas que vão a lugar algum, faz coisas que nunca fez, tem vontade de gritar...
A direfença está no que se faz, porque o descobrir ou não é tão subjetivo.

Daqui há 10 tudo o que se procura hoje podem ser apenas fantasmas.

Do passado 1. Que ponto final q nada...balela

Entre 2005 e 2006, quando esse blog ainda não existia, eu escrevi em um espaço que havia no msn. Fiz uma pequena coleção de coisas de lá. Algumas eu simplesmente perdi. Outras eu consegui resgatar e vou colocar aqui com o mínimo de ajustes possível, para ver a diferença da escrita (!), para tentar não perder mais e lembrar que tem coisas que é bom matar a saudade, outras a gente só lê para lembrar porque não precisa lembrar mais!!
     
de 22 de dezembro de 2005..
Aaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiii, me acabei chorando agora!! Hehe
 Puta merda, ops!... por que mulheres pegam esses filmes melosos? ...pior, por que o povo grava esses filmes? (será possível criar uma lei contra isso? Pessoas podem machucar-se de mais, fisicamente inclusive!) ... pra gente chorar até desidratar? Ficar pensando que vai encontrar um amor de verdade, vai ter um dia que vai achar que é pra sempre? E no outro dia, de tanto chorar, acorda com os olhos inchados, a cabeça latejando, e sem o verdadeiro amor da sua vida e tendo milhares de coisas para dar conta. É patético!
E eu sempre faço isso... vejo, choro, deliro, choro e escrevo...
If only....tanta coisa!!
A mente humana funciona de um jeito incrível, desde o momento que recebe a informação, ao tentar processá-la, digeri-la e dirigi-la... eu normalmente pulo do ”receber a informação” para o tentar digeri-la... e paro por aí – processar e administrar ainda não estão bem dentro dos meus domínios.
Esquecendo toda a história de amor e coisa e tal... fico pensando se tudo não passarm de avisos, não necessariamente da categoria que são apresentados, avisos – simplesmente avisos. Estamos no caminho certo?
E a sorte só mostrou no meu futuro família e trabalho... amor que é bom, necadecatibiriba! ...tô bem, heim?! Mas vá lá...foi bom, é bom sempre refletir.
Não quero acabar com perguntas, ou melhor, com pontos de interrogação - que já tem o suficiente até aqui. Quero que venham depois, depois que eu acordar e lembrar que tudo eram pensamentos e que talvez sonhos não se tornem realidade.

Sendo professora eu aprendi:


 
1.
O número de abobrinhas que você lê está diretamente relacionada com o número de provas que você corrige.

quarta-feira, agosto 15, 2012

Mec pode mudar curriculo após d​ivulgação dos números do ideb

Enquanto nosso mininstro diz que para melhorar o ensino médio é preciso ter escolas em tempo integral e ensino técnico, eu continuo achando que o que precisamos é melhorar o ensino infantil para ter melhores resultados no fundamental, melhorar o fundamental para melhores resultados no médio, melhorar o médio para ter alunos mais preparados para o ensino superior.

E sim, melhorar também a qualidade do ensino superior.

E melhorar não é facilitar que o aluno passe de ano. Melhorar é garantir que não existam analfabetos funcionais em qualquer nível de ensino. Porque ter já é absurdo, ter 38% no ensino superior é gravíssimo.
Não adianta aumentar o número de jovens frequentando o ensino superior se não voltar a melhorar a qualidade desse ensino.

Mec pode mudar curriculo após d​ivulgação dos números do ideb


quarta-feira, agosto 01, 2012

do politicamente correto.

Quando Vinícius de Moraes escreveu "Existem umas feias potáveis. Mas a maioria só serve mesmo para fazer sabão." ainda não existia o politicamente correto.

segunda-feira, julho 30, 2012

A melhor idade da Mafalda

Ganhei da Aninha, há duas semanas, meu presente de aniversário de 2011! Nós nos vimos sim depois do meu aniversário, mas não interessa, interessa que eu ganhei e amei!
Uma agenda-calendário da Mafalda. Cada dia tem uma tirinha da Mafalda, delícia!

O Máximo. Bom, eu sou fã da Madalda, eu será que o certo seria dizre fã do Quino?

E aí comecei a ler. Um dia li um pouquinho, outro dia mais um poquinho. Não dá pra ler Mafalda como se lê outras HQ, você se obriga a pensar um pouco a respeito do que está lendo.

Então li a que bateu. Não vou colocar a tirinha aqui (os mais curiosos que fucem pra ver se acham ou me pede um por favor!), mas bateu quando disse que a melhor idade da vida é estar vivo.
É isso!

Algumas pessoas sentem essa alegria quando tem quem amam ao lado, essa alegria dura, ou pode durar, aaaaaaanos. Dá um aperto grande no coração ver quem fica, mas ao mesmo tempo é tão bom ver que um amor assim existe, que a gente ama e sofre junto e se pudesse tentava ocupar um pouco do amor para parar de doer.
E para não te fazer sofrer não me permito morrer antes para te polpar da dor - foi algo assim que eu li outro dia, não achei mais o autor nem onde, mas foi uma das provas que pensei serem das mais verdadeiras. Quantos casais, dos "antigos", eu tenho visto que tem acontecido isso. Ou sofrem profundamente e em silêncio ou se vão de pouquinho.

Mas vamos voltar ao foco...
O que a maioria das pessoas não percebe é que a alegria é fazer as coisinhas pequenininhas de todo dia.
Uma vez eu achava que ser feliz seria passar num concurso público numa boa universidade, ser uma pesquisadora renomada, morar no litoral (calor, mar, vida saudável e boa comida), ter uma vida cultural ativa, casa própria e carro off-road. Sonhei bem, né?

Descobri que a vida faz a própria trilha.
Não moro no litoral, mas tenho o calor! Mar é quando dá, mas a boa comida eu posso (tentar) fazer em qualquer lugar!
Vida cultural ativa eu achava que era poder frequentar teatro e cinema, ter livros a minha disposição e jornais de diferentes locais. Na cidade em que moro não funciona bem assim. Mas isso hoje em dia não é barreira. A internet está aí. Livros o correio ou as viagens trazem. Fico com vontade de algumas coisas, mas acontece. Dá mais gosto quando faço.
Casa própria e carro off-road? Quem sabe um dia eu chego lá?!
A vida foi peneirando os amigos, definindo os amores, escolhendo as vontades,apresentando a verdadeira família, mostrando as outras possibilidades e assim estar feliz ficou mais fácil.

sábado, julho 28, 2012

As coisas que eu aprendi com meus pais

Quando eu era pequena muitas vezes meus pais colocavam os quatro filhos no carro e íamos para São Chico ou para a casa de algum tio em alguma praia ou chácara.
Não havia a pergunta "vocês querem ir?". 1. Não interessava! 2. A resposta seria sim!

Nós não fazíamos o gênero família cantante, mas eu lembro que enquanto meu pai dirigia minha mãe sempre tentava nos entreter com algo. Primeiro rezávamos, assim que saíamos de casa. Aí ela dava um tempo "livre" pra gente e quando a coisa começa a esquentar ela pedia silêncio para contar um pedaço da história que ela estava lendo!

Ela sempre estava lendo algo. Lembro que muitas vezes era a revista Seleções, que ela ainda ama ler. Com frequência ela contava um pedaço de um livro, dos dois ou três que lia ao mesmo tempo. As vezes eu ficava louca da vida, porque ela estava contando a história e eu queria ler e ela já estava dizendo o que iria acontecer!
Realmente acho que isso fez crescer o meu gosto por ler. Meu e de minhas irmãs. Meu irmão não é muito chegada a um livro não, mas nós "meninas" ainda lemos Seleções e trocamos livros lidos e recomendáveis, claro que minha mãe faz parte do círculo!
Muitas vezes no caminho, ela tinha palavras cruzadas e fazia, passava para um de nós fazer também. Mais um hábito herdado.

A outra coisa que eu aprendi com meus pais é amar viajar. De certa forma isso faz parte do gosto da leitura, não?! Cada vez que minha mãe falava de um lugar eu ficava imaginando como seria e me prometendo que um dia iria conhecer. Quando íamos a um lugar novo ela pesquisava antes (sem internet na época!) para ir nos contando um pouco do lugar, ou será que ela simplesmente sabia?!! E eu a via também fazendo um "diário de viagem", contando por cada cidade que passava, o que via, o que fazia. Meu pai volta e meia contava de alguém da família que tinha passado por ali e tinha algum feito! Eu tento lembrar das histórias, gostaria de guardá-las e poder repassar para os próximos que chegaram e que estão por vir.

Está longe de ser tudo o que eu aprendi, mas essas são as que hoje estão mais vivas na minha memória.

Ler, fazer palavras cruzadas (!), viajar e registrar os novos lugares que conheço.
Se eu tiver filhos, que eles resolvam gostar de pelo menos uma dessas coisas.
Que eu consiga dar a eles a oportunidade de viajar como meu pai nos deu. E que eu seja tão boa quanto minha mãe para ensinar como aprender a gostar.

domingo, maio 27, 2012

Se tem ligação o que acreditamos? É óbvio que tem!

Tenho visto uma quantidade incrível de postagens defendendo religião e ateísmo. A primeira coisa que me vem a cabeça é que pergunto qual a necessidade que se tem dessa auto afirmação, necessidade de agregar adeptos, forçando o convencimento?
Isso não fortalece ainda mais ofenças? E aí entra o meu ponto: as duas abordagens me parecem estar indo para o lado oposto ao que "pregam", "acreditam", "consideram"...  Que tipo de argumentação se está usando.
Crer em Deus, ou em um entidade que de alguma forma coordena ou torna isso mais, ou menos, caótico tem por finalidade trazer aos seus praticamente uma ideia de vida de compaixão e união, fortalecendo suas almas e tornando-os indivíduos melhores.
Não crer em Deus algum é não se submeter as regras que definam o que é certo ou errado, acreditar que há uma sequência lógica em que tudo se explica. E de muitos eu ouço que é não ser hipócrita....
Como o Universo foi criado, como surgiram todas as espécies, se há alma... eu entendo que é impossível negar tais questionamentos, mas é tão doido assim deixar que cada um acredite no que lhe parecer mais lógico?
Pois é, para mim, há hipocrisia em todos os lados quando se usa de argumentos baixos ou força uma ideia para o convencimento. O pecado em julgar. O erro em ofender. Pecado ou erro, são palavras diferentes sim, mas mostrando que alguém está se sobrepondo a outrém.
Se a religão é o ópio do povo ou se é inadimissível viver tão pouco e simplesmente acabar aqui não deveria fazer diferença quanto a vontade e necessidade de se fazer sentir bem, sem agredir quem está em volta.
Eu fico tão apaixona por culturas diferentes, e, portanto, por diferentes religiões, quanto fico facinada com a ciência. E se todos estiverem certos ao seu modo? E se todos estiverem errados?
Eu trabalhei com crianças e dentro do currículo  da 5ª série há a discussão sobre as diferentes teorias sobre criação do Universo e origem da vida. Abordei todas as formas de pensamento, do criacionismo ao neo-darwinismo, passando pelo Big Bang e teoria da geração expontânea. Ao final de uma aula, uma aluna pediu para falar comigo e chorando me perguntou se tudo que ela tinha aprendido na igreja era mentira e se quando ela morresse tudo simplesmente acabaria e ela não veria mais niguém, simplesmente deixaria de existir. Não interessa o que eu acredito ou deixo de acreditar. Uma criança de 9 anos não tem como entender todas as nuances se nem aos 90 a maioria chega realmente a uma conclusão, mesmo que uns simplesmente acreditem por não pensar muito ou pensar demais a respeito. Eu achei que precisava fazer ela entender que eu não estava impondo uma opnião, estava mostrando diferentes pontos de vista, que se ela um dia resolvesse não concordar mais com as ideias da sua igreja ela deveria conhecer diferentes ideias  e, pra mim, se ela continuar sendo tão doce e preocupada com os colegas como ela era, não me interessa se ela resolver ser freira ou se entrar no Jeffersonian Institute.
E é por isso que além de eu não conseguir entender como se mistura fé e ciência no mesmo balaio ainda se briga tanto por isso. O livre arbítro de alguma forma não é o mesmo que a individualidade???
Não me interessa se  você é puramente criacionista, se só acredita que a alma não acaba aqui ou se acha tudo isso uma grande baboseira. Se tuas atividades não ofendem, agredem ou ferem outras pessoas, você será sempre bemvindo na minha casa.
Se eu te perguntar quais são tuas convicções é porque eu tenho certeza que posso aprender com elas, seja quais forem. Mas idenpendente do que você siga, não me agrada qualquer forma de extremismo.
Ter fé ou a fé em não ter fé. É como amar alguém ou alguma coisa. Se você realmente toma isso como seu, não fará diferença o que dizem. Um astrofísico pode não ver graça em insetos ou células. Um entomólogo pode não entender de economia. Os erros podem ser cobrados aqui ou em outro lugar, ou não serem cobrados, mas eu vou continuar achando que a mente humana, a diversidade e fractais são mecanismos perfeitos. 
Não precisa ficar em cima do muro, mas você não precisa reafirmar a cada 5 minutos o que acredita para ser uma pessoa melhor ou impor o que acredita achando que irá salvar uma alma ou abrir uma mente.

 
"A special type of broccoli, this cruciferous and tasty cousin of the cabbage is a particularly symmetrical fractal. Cook it for your favorite mathematician." 
"Um tipo especial de brócolis, este primo crucíferos e saboroso do repolho é um fractal particularmente simétrico. Cozinhe-o para seu matemático favorito."

sábado, fevereiro 11, 2012

Sem mais acreditar em contos de fada, mas fazendo uma "fezinha"!

Hoje é um sábado desses que eu fico querendo olhar a minha conta no banco para ver se, por milagre, apareceu dinheiro o suficiente para eu quitar o carro e comprar uma casa... como é que eu consigo isso?!

Mas vai dizer que não seria incrível uma coisa dessas... bom, seria tãão incrível que eu nem acreditaria e, provavelmente, ficaria fuçando pra ver quem colocou o dinheiro lá até eu achar e pegarem ele de volta...


Por conta disso, nem abro a conta. Fico só namorando as casinhas que tem por aí, como um sobrado que colocaram a venda pela 3ª vez. Ou tem algo de muito errado ou vai acabar parando mesmo na minha um dia. Espero que uma alternativa exclua a outra!

E é como eu já disse uma vez num quase plágio "Eu quero ter um milhão de amigos e pra cada um pedir um real", dado não emprestado, e ao mesmo tempo, por favor.

quarta-feira, janeiro 25, 2012

No meio de tudo, de quase tudo, quando se pensa que não existe a possibilidade de parar, a gente para. Quase cai. E bem naquele momento, sentados ainda, vemos o mundo girando, algumas coisas se afastando outras se aproximando, outras exatamente como estavam, mesmo que não pareça.

domingo, janeiro 22, 2012

Se o frio é bom? Bruuuuuu

Bruuuuuu mesmo.


Nem Palotina escapou dessa.

Mas o que aquece mesmo é o calor humano, não o mundano. não confunda! Esse aquece, mas logo esfria. Tão logo muitas vezes nem se sente saudade.

Calor que a gente lembra e gosta é aquele que aquece a alma, o sorriso.

Calor de casa de mãe, calor de irmão, calor de amigo do peito.

Taí! Falar de amigo do peito. Quantos amigos do peito temos na vida? Amizade tem prazo de validade? Já me disseram isso uma vez, não gostei. Tem mesmo? Que agência determina isso? Vêm no rótulo? Amizade tem rótulo, de amigo irmão, de amigo do peito, de amigo de balada...?


Mas tem amizades pra vida toda sim, eu sei que tem (parece que tô repetindo para acreditar!). As vezes parece que abala, mas só balança para ter o que falar depois, pra poder dizer "eu sempre tive razão, não adianta" ou " -'tá certo, tá certo. eu errei.' -'imagina! a culpa foi minha'!", "Até parece! A culpa fio tua".!


Saudades de muitos amigos, dos que ficaram, do que foram, dos que sumiram e dos que ainda não voltaram. Saudades dos amigos do peito. E mesmo dos que foram amigos só por um dia ou dois.

E dos que decepcionaram. Se é que decepção não é culpa nossa... Mas desses também eu sinto saudade, porque foram meus amigos, ou quem sabe ainda o sejam e eu é que não sei....

horário ou anti horário, qual o certo mesmo ?

Disciplinar-se pode ser algo extremamente difícil.
Claro que não o é para os perfeccionistas ou todos aqueles que não tenham pelo menos um parafuso apenas parcialmente colocados.
Eu não faço parte da lista acima ou com qualquer outra característica que eu ainda não saiba e que facilita a tal disciplinização.
Minha maior dificuldade nem é a vontade de fazer, é, as vezes, travar por achar que o mundo tá girando do lado contrário! Ai

De uma sexta feira de aula...até as 22:40 (ou algo mais que isso!!)

Reparei que chego feliz na sexta feira em casa, depois de ter aula até quase as 23h.
Pensei a respeito e não é porque depois vem o sábado.
Eu gosto mesmo da sala de aula.
As discussões, a troca de idéias... Minha felicidade é quando, olhando para cada um sentando na minha frente, eu vejo interesse e não um ponto de interrogação!!!
Quando os questionamentos mostram reflexões, quando as dúvidas aparecem e conversamos sobre cada uma delas, quando eu tenho a chance de me sentir mais próxima - de algum jeito - de cada um deles porque naquela hora estamos na mesma sintonia.
Quando estou voltando p/ casa, venho mirabolando planos....mas que eu sei, que pelo menos por enquanto, eu não vou conseguir colocar em prática.
Eu ia começar dizendo que “algumas pessoas simplesmente sabem viver”, mas seria um erro tão grande isso.
Não porque algumas pessoas não saibam mesmo viver, mas porque eu estava pensando num tipo específico de vida com viagens, e aventuras, e visões paradisíacas. Bom, isso é o máximo (?, !), mas não para todas as pessoas que eu conheço. Eu ainda admiro muitíssimo os que eu conheço que são felizes sem ter ser saído do seu jardim.
Por perto dos meus 14, 15 anos eu tinha uma colega que sonhava em casar e ter filhos. Ela agüentava as coisas mais absurdas do namorado e uma vez me disse (sim, com todas as letras) que preferia que ele fizesse “certas coisas” (foi isso que ela disse!) com as outras que com ela. Hahaha! Isso ainda me corroi! Consegue imaginar alguém querer ser “Amélia” por vontade própria desde sempre? Bom, mas não era esse o tema...  Acontece que hoje ela é super festeira, com várias fotos na memória e amigos em lugares diferentes.
E tinha outra, que eu vi fazer as coisas mais malucas, com as roupas e cabelos mais no estilo “Betty Rizzo de Nos tempos da brilhantina” - após revolução (!) - que eu já vi... as saias de couro e as meias pretas arrastão e o cigarro na boca, que gritava por liberdade de expressão, quase num estilo rebelde sem causa...essa casou e hoje é a mãe de duas crianças lindas e de uma família que vem se formando com um carinho muito aconchegante.
Nenhum dos dois estilos dos sonhos de adolescente me encantavam na verdade (embora minha mãe diga que eu sempre respondia que queria ser mãe de muitos filhos quando me perguntavam o que eu seria quando crescer!).
Acho que eu nunca consegui decidir exatamente o que eu queria, nunca fui extremamente fiel a um estilo não... Eu já usei camiseta do Bob Marley, aprendi a escutar The Doors e achei o máximo Biquini Cavadão ...  nunca vesti botina e pulseiras de couro com pinos prateados, mas já sai com boina colorida e com as cores rastafari!
Já pensei em ser piloto de avião, química (até parece!), médica, arquiteta, mas nunca deixei de sonhar em aprender a cozinhar com grandes Chefs. Resolvi ser bióloga, invisto tempo e dinheiro nisso e, como diria um cara que eu conheci, “uma gota de sangue todos os dias”! Mas nunca passou pela minha cabeça abraçar uma árvore que estava pra ser cortada ou um navio que se aproximava de um atol... Um aluno uma vez me perguntou porque eu não era membro do Green Peace e a resposta é muito honesta, realmente acho que posso fazer algo, mas de forma diferente. Cada um com seu papel! Deixei de acreditar que vou conseguir fazer o que eu imaginava quando me formei, mas eu ainda tento...alguma coisa...
Disso tudo, o que mudou e o que não mudou, para quem quer que seja, não faz diferença. Não faz para mim. Quando nos dizem “bem vindo ao mundo adulto” a gente percebe que não faz mal nenhum em mudar nossas escolhas e torce para continuar mudando.
Fico contente em pensar que posso ajudar a formar novas idéias, em algumas cabeças que seja, que a vida está caminhando e que eu tenha feito escolhas ótimas e outras que dá vontade de me esconder de vergonha e ou raiva e que, graças a Deus, o carro dos meus sonhos não é mais um Kadett branco pérola conversível!!!!