sábado, dezembro 23, 2006

Às minhas amigas...

Aquela pimenta na janela nem era pra espantar mal olhado, ela não acredita nessas coisas. Mas também se não fizer bem, mal não há de fazer!
A superstição passa da arruda ou do louro na janela, mas o que ela não pode ficar sem é das amigas. Ah! Isso ela sabe. Porque ninguém pode ajudar a tomar uma decisão ou dar sorte, mas elas podem indicar o caminho, dar as mãos pra levantar quando preciso, uma de cada lado.
E é por isso que ela gosta tanto delas, que ela torce pelo melhor, vibra com cada conquista.
E as vezes elas parecem um pouco distantes, mas ela sabe que isso não quer dizer nada. Porque basta a elas saberem que tem umas as outras pra quando quiserem.
Ela pensa que talvez ela precise mais delas que o contrário e isso não parece justo. Mas ela estará lá quando precisarem, isso é que realmente parece louvável...
A elas ela dedica atenção, não consegue mentir, por mais bobo que pareça qualquer coisa.
É delas que quer continuar por perto, perto dos olhos e do coração.
Às minhas amigas...

sexta-feira, dezembro 22, 2006






Pare, olhe, escute.
Eu estava andando na rua esses dias, com aquela pressa de sempre e com a cabeça nas nuvens pra não variar (sim, porque se eu escreve "pra variar"seria diferentedo comum...e realmente não era!), e vi uma mulher entretida numa conversa daquelas de enrugar a testa, sabe?! Ela respodia com firmeza o que lhe convinha, se exaltava e falava mansinho de vez em quando.
Aquilo quase me fez parar pra saber o que tanto a deixava nervosa, até que eu comecei a me escutar e entendi o porquê.
Sim, ela estava sozinha...
E depois quando eu continuei andando também comecei a rir sozinha e depois franzi a testa de pensar na minha loucura, cantarolei e chutei a calçada como quem dá uma bicuda de propósito no jogador adversário, é! Daquele jeito meio "não fui eu não, seu Juiz!"
Se "Dê médico e de louco, todo mundo tem um pouco", que me mandem a minha cota de loucura em dobro então, pra ver se me safo do resto!!

terça-feira, dezembro 19, 2006

A culpa é da Lili

Esses tempos eu coloquei no meu profile do orkut um trecho de Drummond, que muito aprecio.
Bom, daquelas coisas que você lê e fica pensando, nossa... quem eram todos esses? Pobres de tantos deles que não puderam ser felizes....e tal!
Aqui vai o trecho:

"Quadrilha
João amava Teresa que amava Raimundo que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos,Teresa para o convento, Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes que não tinha entrado na história."


Você parou para pensar o que realmente aconteceu? Pare agora, tente em 30 segundos desvendar tal mistério...
...
...
Tá bom, conseguindo ou não chegar à uma conclusão eu vou colocar aqui a solução do problema, dado por minha amiga Vivi...

"Vivi: A culpa foi da Lili!!!!
Ela é uma destruidora de corações...calma eu explico
A tal Lili casou com um qualquer aí que ela nem amava, o Joaquim desolado cometeu suicídio depois do casório dela, a Maria, pobre, ficou pra tia mesmo, já que os homens que ela amava e o que amava ela já tinham ido dessa pra melhor, a Teresa chutou o pau da barraca, já que o grande amor dela tava morto mesmo, ela resolveu virar freira pra ver se por intermédio do Papa conseguia ficar mais pertinho no falecido e o João...esse foi o pior, já que a Teresa trocou ele pelo Céu ele resolveu ir pro Inferno e se mudou para os Estados Unidos.
e tudo isso por culpa do coração de pedra da Lili!"

Só a Vivi!!!